Brincar de roda, pique esconde, chicotinho queimado, conviver, cantar e dançar junto em rodas com amigos e primos nos fez bordadeiras e bordadeiro de vida inteira.
Esse bordado coletivo foi aprendido com a mãe bordadeira, que enquanto escutava novelas pela Rádio Nacional, disponibilizava as caixas de linhas para nossas brincadeiras. E este trabalho amoroso foi um aprendizado familiar que nos deu a dimensão da importância do coletivo.