Meados de julho, meadas de férias!

Meados de julho, meadas de férias!

Julho 27, 2018

Férias é uma palavra mágica. Soa doce aos lábios e não conhece cara feia de ninguém. Social por natureza, só existe no plural. Nela cabe um mundo de imaginação e um cordão de memórias - misto de cores, formas, sons e emoções.

Evento dourado no calendário, as férias, planejadas ou não, sempre são esperadas com fervor, em contagem regressiva. Antes dela bater à porta, listamos centenas de issos e aquilos que faremos nas férias. Viajar para aquele sonhado lugar, acordar sem despertador, visitar sem pressa aqueles amigos, conhecer aquele restaurante badalado, dar aquela geral no armário e... dar de cara com o bordado inacabado. Brincaderinha...!

Nossos bordados têm essa energia das férias, desse cheiro de quintal e rio. Movimento, cor e natureza são matérias-primas de nossas criações e se expressam nas mais diferentes texturas.

 

Brincando com as águas - Coleção Águas

 

Quando bordamos crianças brincando nas árvores ou de mãos dadas em redonda ciranda, bordamos mais que uma imagem bonita. O entra e sai de nossas agulhas nos panos faz mais que obedecer aos ditames do traçado. É uma dança que testemunha situações de real contentamento, agora eternizadas no espaço-tempo e além.

Quando bordamos, mergulhamos nas águas da memória e voamos pra lá das nuvens a fim de buscar alegrias vividas e mundos mais leves. Nem por isso perdemos o fio terra que conduz o desenho firme e belo.

 

Ciranda Azul - Coleção Brincadeiras

 

Nossas férias podem ser assim, um estado de contentamento. Sem ponto final. Nós, bordadeiros que amamos essa arte, sabemos o quanto é duro admitir um ponto final. Por isso abrimos mais um pano, e mais um e sempre mais um. Como os dias que chegam, de um em um, e bordam uma vida inteira.